O surgimento de Allan Kardec

“No momento de publicá-lo – diz Henri Sausse, biógrafo de Kardec – o autor ficou muito embaraçado em resolver como assinaria, se com o seu nome – Hippolyte Léon Denizard Rivail, ou com um pseudônimo. Sendo seu nome muito conhecido do mundo científico, em virtude dos seus trabalhos anteriores e podendo originar equívocos, talvez até mesmo prejudicar o êxito do empreendimento, ele adotou o alvitre de passar
a assinar com o nome de Allan Kardec, nome que, segundo lhe revelara um espírito, ele tivera ao tempo dos Druidas.” Para melhor elucidar o internauta, Rivail em encarnações passadas fora um sacerdote Druida de nome Allan Kardec – veja-se também estudos sobre o assunto na obra Allan Kardec, o druida reencarnado, de Eduardo de Carvalho Monteiro, editora EME.

Após o lançamento de O Livro dos Espíritos (1857) seguiram-se outros:
Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas:
– O que é Espiritismo – Carta sobre o Espiritismo
– O Livro dos Médiuns (1861) – O Espiritismo na sua expressão mais simples
– Viagem Espírita em 1862
– Resposta à mensagem dos Espíritos Lioneses por ocasião do Ano Novo
– Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas, ou Primeira Iniciação
– Imitação do Evangelho Segundo o Espiritismo, daí originando O Evangelho Segundo o
Espiritismo (1864)
– Coleção de composições inéditas extraídas de O Evangelho Segundo o Espiritismo:
– A Gênese (1868)
– O Céu e o Inferno (1865)
– Coleção de Preces espíritas
– Estudo acerca da poesia medianímica
– Caracteres da Revelação Espírita
– Obras Póstumas (1890) – Revista Espírita.

Nos seus últimos anos de vida, Kardec tornara-se um homem universal – segundo o Sr. André Moreil
(La Vie et l´Oeuvre d´Allan Kardec, Paris, 1961). Em preparativos de mudança de residência, em 31 de março de 1869, aos 65 anos incompletos, é vítima de um aneurisma que o leva ao desenlace. Em seu enterro, no Cemitério de Montmartre, dentre outros oradores o astrônomo Camille Flammarion, destacou a contribuição de Allan Karde para o mundo científico e filosófico. Atualmente, os despojos mortais de Kardec podem ser encontrados no centro do monumento druida no Cemitério Père-Lachaise, em Paris.

Bibliografia
Grandes Espíritas do Brasil – 53 biografias- de Zêus Wantuil                     (organizador) – 1ª edição – FEB

Centro Espírita Antonio de Oliveira Desde 14/09/1947