Evangelho no Lar

O EVANGELHO NO LAR É A MANEIRA SEGURA DE TRAZER A LUZ, HARMONIA, ENTENDIMENTO A PAZ E, COM ISSO JESUS PARA DENTRO DO NOSSO CADINHO DOMESTICO.

Do livro Jesus no lar pelo espírito Neio Lúcio – Psicografia de CHICO  XAVIER.

O culto cristão no lar

Povoara-se o firmamento de estrelas, dentro da noite prateada de luar, quando o Senhor, instalado provisoriamente em casa de Pedro, tomou os Sagrados Escritos e, como se quisesse imprimir novo rumo à conversação que se fizera improdutiva e menos edificante, falou com bondade:

— Simão, que faz o pescador quando se dirige para o mercado com os frutos de cada dia?

O apóstolo pensou alguns momentos e respondeu, hesitante:

— Mestre, naturalmente, escolhemos os peixes melhores. Ninguém compra os resíduos da pesca.

Jesus sorriu e perguntou, de novo:

— E o oleiro? que faz para atender à tarefa a que se propõe?

— Certamente, Senhor — redarguiu o pescador, intrigado — modela o barro, imprimindo-lhe a forma que deseja.

O Amigo Celeste, de olhar compassivo e fulgurante, insistiu:

— E como procede o carpinteiro para alcançar o trabalho que pretende?

O interlocutor, muito simples, informou sem vacilar:

— Lavrará a madeira, usará a enxó e o serrote, o martelo e o formão. De outro modo, não aperfeiçoará a peça bruta.

Calou-se Jesus, por alguns instantes, e aduziu:

— Assim, também, é o lar diante do mundo. O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum. Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranquila sem que o lar se aperfeiçoe? A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações?

Se nos não habituamos a amar o irmão pais próximo, associado à nossa luta de cada dia, como respeitar o Eterno Pai que nos parece distante?

Jesus relanceou o olhar pela sala modesta, fez pequeno intervalo e continuou:

— Pedro, acendamos aqui, em torno de quantos nos procuram a assistência fraterna,

uma claridade nova. A mesa de tua casa é o lar de teu pão. Nela, recebes do Senhor o alimento para cada dia. Por que não instalar, ao redor dela, a sementeira da felicidade e da paz na conversação e no pensamento? O Pai, que nos dá o trigo para o celeiro, através do solo, envia-nos a luz através do Céu. Se a claridade é a expansão dos raios que a constituem, a fartura começa no grão. Em razão disso, o Evangelho não foi iniciado sobre a multidão, mas, sim, no singelo domicílio dos pastores e dos animais. Simão Pedro fitou no Mestre os olhos humildes e lúcidos e, como não encontrasse palavras adequadas para explicar-se, murmurou, tímido:

— Mestre, seja feito como desejas. Então Jesus, convidando os familiares do apóstolo à palestra edificante e à meditação elevada, desenrolou os escritos da sabedoria e abriu, na Terra, o primeiro culto cristão no lar.

O primeiro culto do Evangelho no lar foi realizado pelo próprio Jesus, na casa de Simão Pedro, conforme nos relata o espírito Neio Lúcio no livro Jesus no Lar. Naquela ocasião o mestre levou todos os presentes a refletirem que, se não conseguissem viver em harmonia no próprio lar, com seus entes mais próximos, como podemos intentar viver em paz fora do lar? Jesus deixava assim um roteiro seguro para nossas vidas e para o fortalecimento dos laços familiares.

Independente do credo que se professe esta reunião semanal da família para o estudo do Evangelho é imprescindível, além dos benefícios já citados esta prática torna Jesus presença constante em nossos lares, assim como afasta toda influência negativa. André Luiz no Livro Os mensageiros nos diz que: “Quando no lar são levantadas paredes espirituais com substâncias sublimes do amor, dedicação e ligação com Jesus, isolando o lar da atmosfera miasmática da crosta, somente entram, nesse ambiente, Espíritos autorizados, mesmo assim, aqueles que o guardam, terão que abrir a porta.” Por isto quando abrimos nossa casa e nosso coração para o Evangelho estamos acendendo a luz no lar e fazendo com que as trevas batam em retirada.

Mas como fazer o Evangelho no Lar?

Primeiramente devemos procurar escolher um dia e hora da semana onde todos ou a maioria possa participar e a partir daí todos devem ter o compromisso de estarem presentes no momento acordado. O tempo para realização pode variar, mas 20 a 30 minutos são suficientes para a boa realização do mesmo. No caso do telefone tocar devemos atender e dizer que após o Evangelho tornamos a ligar, caso chegue uma visita, diremos a mesma coisa e convidaremos o visitante a participar. O importante e manter a disciplina, salvo alguma emergência.

1.     Prece Inicial – simples e espontânea, buscando contato com os planos superiores;

E a prece dominical   [pai nosso]

2.  Leitura de uma mensagem – com conteúdo edificante;

3.   Leitura do Evangelho segundo o Espiritismo – pode ser lido aleatoriamente ou em seqüência;

4.   Comentários sobre o texto lido – comentários breves, evitando-se polêmicas e críticas;

5.   Vibrações – pensar em Jesus e emitir pensamentos positivos de harmonia, paz, amor e esperança;

6.   Prece de encerramento – agradecer a Deus, pedir proteção para todos e para estarem juntos na próxima semana.

Obs.: Pode-se utilizar também água fluidificada, ficando a critério dos participantes.

Se ninguém na sua família deseja participar do Evangelho, ou você mora sozinho, não há problema, faça o Evangelho “só” respeitando também a disciplina do dia e do horário, pois na verdade você estará acompanhado de diversos amigos espirituais e de companheiros que desejam aprender e reconforta-se com as palavras balsamizantes do Evangelho. Por isto é importante ler o Evangelho em voz alta (tom normal), pois nem todos os companheiros do plano espiritual podem captar seus pensamentos, e estes ficariam prejudicados com a leitura mental.

Caso você tenha crianças e elas já tenham idade que as permita compreender este momento, elas não só podem, como devem participar, pois temos a responsabilidade de evangelizar os pequenos, traçando assim roteiros seguros para o crescimento deles, sob a luz dos ensinamentos de Jesus. Entretanto deve-se adaptar a reunião ao grau de compreensão das mesmas, para que eles possam participar, compreender e se interessar por este momento. Além disso, deve-se estimulá-las a comentar o texto lido. Pode-se, por exemplo, substituir o Evangelho segundo o Espiritismo por um destes livros: Jesus no Lar, Alvorada Cristã, O Evangelho da Meninada, isto tornará a reunião mais atrativa as crianças.

Não há formula ideal para o culto do Evangelho no Lar, você pode fazer suas adaptações no roteiro que apresentamos, o mais importante é não deixar de fazê-lo e envolver o maior número de familiares possível, evitando-se qualquer comportamento que leve a desarmonia.

Temos certeza que com adoção desta prática salutar, seu lar se transformará numa fonte de luz para você e sua família, sendo seu manancial de segurança em todos os momentos. E Lembre sempre da promessa de Jesus que disse: “onde duas ou mais pessoas estiverem reunidas em meu nome, eu estarei no meio delas”, portanto não duvide. No momento do Evangelho do Lar Jesus estará sempre presente.

Muita paz!

CEAO

Centro Espírita Antonio de Oliveira Desde 14/09/1947